CULTO E ORAÇÃO

papa2017_portico_img.jpg

 

Recinto do Santuário

O Recinto de Oração do Santuário de Fátima é uma vasta esplanada cujo coração é a Capelinha das Aparições, construída em 1919, correspondendo ao pedido de Nossa Senhora aos Pastorinhos, em outubro de 1917.

Localização

O Santuário ocupa uma área de 75 mil metros quadrados, incluindo as alamedas laterais, cabendo 30 mil metros quadrados à esplanada.

O espaço de oração, que foi crescendo ao longo dos anos para acolher um número cada vez maior de peregrinos, é encimado, a nascente, pela Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, construída no local onde Lúcia, Francisco e Jacinta brincavam a 13 de maio de 1917 quando foram surpreendidos por um relâmpago, que antecedeu a primeira Aparição.

No extremo oposto do Recinto, a poente, ergue-se a Basílica da Santíssima Trindade.

 

As novidades do Recinto do Santuário

Para quem hoje entra no Recinto do Santuário são logo visíveis as novidades: o Pórtico Jubilar, junto à Basílica da Santíssima Trindade, a repavimentação do piso da Esplanada, que foi igualmente corrigido, e, sobretudo o novo altar, que substitui a estrutura construída propositadamente para acolher a primeira visita de João Paulo II (12 e 13 de maio de 1982).

Sublinhe-se que as novidades têm a ver com as comemorações do Centenário das Aparições e não diretamente com a visita do Papa Francisco.

 

Novo altar

O novo Presbitério, dedicado em maio de 2016, tem capacidade para 120 concelebrantes e a sua construção prolongou-se por mais de um ano, e implicou a reformulação da escadaria do recinto, mantendo o mesmo tipo de pedra da região.

papa2027_altar.jpgSituado em plano inferior relativamente à estrutura que funcionou durante 35 anos, o altar tem dois andares, sendo que o piso inferior é subterrâneo, destinado a serviços de apoio, Sagrada Reserva e Sacristia, e tem acesso directo ao piso do Presbitério por escadas e elevador.

O projecto é da autoria do arquitecto grego Alexandros Tombazis, que assinou o projecto da Basílica da Santíssima Trindade, e da arquitecta Paula Santos.

 

Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima

A Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima foi construída sob projeto do arquiteto Gerardus Samuel van Krieken, cuja implementação seria terminada por João Antunes.

Localização

Simbolicamente, a primeira pedra foi benzida em 13 de maio de 1928 pelo Arcebispo de Évora, D. Manuel da Conceição Santos, e a dedicação ocorreu em 7 de outubro de 1953.

Em 11 de novembro de 1954, recebeu o título de basílica, através do breve Luce Superna, de Pio XII.

Com 70,5 metros de comprimento e 37 metros de largura, o edifício foi totalmente construído em pedra calcária da região, branco de mar.

O templo é constituído por uma grande nave com capela-mor, transepto e duas sacristias, uma das quais foi convertida em lugar de culto (Capela de S. José).

No braço esquerdo do transepto encontra-se a capela em que, desde 1 de maio de 1951, repousam os restos mortais da Beata Jacinta, que morreu no dia 20 de fevereiro de 1920, e os da Irmã Lúcia, que faleceu em 13 de fevereiro de 2005 e para ali foi trasladada no dia 19 de fevereiro do ano seguinte.

Basilica NSRF.jpg

A imagem de Jacinta que aí se encontra é da autoria de Clara Menéres e foi benzida por João Paulo II no dia 13 de maio de 2000.

No lado direito do transepto está a capela onde estão depositados, desde 13 de março de 1952, os restos mortais do Beato Francisco, falecido em 4 de abril de 1919.

A imagem de Francisco é do escultor José Rodrigues e foi benzida também por João Paulo II em 13 de maio de 2000.

Mais pormenores e informações sobre a Basílica e a Colunata que a ladeia podem ser encontrados aqui.

 

Basílica da Santíssima Trindade

O contínuo e rápido crescimento do número de peregrinos que acorriam a Fátima tornou exígua a capacidade de acolhimento da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, pelo que 20 anos depois da sua dedicação (em 1953) se começou a pensar na construção de uma nova igreja.

Localização

Mas mais 25 anos se passaram até ser lançado um concurso internacional, que veio a ser ganho pelo arquiteto grego Alexandros Tombazis, cujo projeto previa a construção de um novo templo ao fundo do Recinto do Santuário, junto à Praça de Pio XII.

O lançamento da primeira pedra teve lugar em 6 de junho de 2004, Solenidade da Santíssima Trindade. A construção terminaria cerca de três anos depois.

Várias razões contribuíram para que a igreja fosse dedicada à Santíssima Trindade: as aparições do Anjo da Paz, com o seu insistente convite à adoração a Deus, Santíssima Trindade; as palavras do Papa João Paulo II proferidas na Capelinha das Aparições, em maio de 1982, através das quais elevou a sua ação de graças à Santíssima Trindade; o jubileu do ano 2000, também ele dedicado à Santíssima Trindade.

A Igreja da Santíssima Trindade foi dedicada em 12 de outubro de 2007 pelo Cardeal Tarcísio Bertone, Secretário de Estado do Vaticano e Legado do Papa Bento XVI para o encerramento do 90.º Aniversário das Aparições de Nossa Senhora em Fátima.

Considerada o quarto maior templo católico do mundo em capacidade, a Igreja da Santíssima Trindade recebeu o título de basílica menor em 19 de junho de 2012.

A Basílica da Santíssima Trindade tem forma circular com 125 metros de diâmetro, sem apoios intermédios; é suportada por duas vigas de 182,5 metros de comprimento, com um vão livre de 80 metros e uma altura máxima de 21,15 metros. A altura do edifício é de 18 metros, o que ultrapassa levemente a Colunata do Recinto de Oração, permanecendo a torre da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima como o elemento dominante de todo o Santuário.

Toda a basílica é de cor branca, tanto na parte das vigas em que o betão está à vista como na restante, revestida de pedra da região (branco do mar).

O templo tem um total de 8633 lugares sentados, incluindo 76 para pessoas com dificuldades motoras. O interior é divisível em dois setores, através de uma parede móvel de 2 metros de altura. A zona do presbitério tem capacidade para cerca de 100 concelebrantes.

Mais pormenores e informações sobre a Basílica da Santíssima Trindade aqui

D0041622.jpg

 

Pórtico Jubilar

O Papa Francisco concedeu um Ano Jubilar ao Santuário de Fátima para assinalar, de uma forma ainda mais digna, a Celebração do Centenário das Aparições da Virgem Maria aos três Pastorinhos.

O Ano Jubilar, de 27 de novembro de 2016 a 26 de novembro de 2017, a que está associada uma indulgência plenária, é assinalado no recinto do Santuário através da colocação de um Pórtico Jubilar, no alto do Recinto de Oração, junto à Basílica da Santíssima Trindade.

Além de simbolizar a “porta santa” de entrada num local sagrado, o pórtico, encimado por uma cruz, evoca também o arco que em 1917 assinalou o lugar das Aparições, sob o qual foram fotografados Lúcia, Francisco e Jacinta.

A estrutura inclui os elementos existentes no arco de 1917: a cruz central e as lanternas que a ladeiam.

O Pórtico Jubilar, com uma dimensão à escala do Recinto de Oração, é replicado, em todas as entradas do Santuário de Fátima, nos pórticos de idêntica configuração, mas de menor dimensão.

Junto ao Pórtico principal está disponível, em sete línguas (português, espanhol, italiano, francês, inglês, alemão e polaco), o Itinerário Jubilar, que propõe um percurso por diversos lugares – nomeadamente a passagem pelo Pórtico Jubilar – marcado por orações específicas:
a oração do Rosário, na Capelinha das Aparições; a Oração pelo Papa, junto aos túmulos dos Pastorinhos; a Oração pela Paz, na Capela do Santíssimo Sacramento, e a Oração Jubilar de Consagração, a rezar durante o Ano Jubilar (é rezada, por exemplo, no final de cada uma das sete missas celebradas diariamente no Santuário).

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização